A 18ª Sessão foi marcada com a palavra de voluntário da Associação Pró-Vida

Foi realizada na noite desta terça-feira, a 18ª Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores de Porto União, sob a presidência de Carlos R. Pinto – Bifão – (PR).

Foram aprovados os requerimentos do presidente da casa que solicita estudos para criar uma Intendência na Localidade de Santa Maria para atender as comunidades de: Legrú, Achilles Stenghel, Nova Galícia, Xaxim e Jangada e que o executivo tome providências urgentes para que em conjunto com a Empresa que executa o transporte coletivo no município e com a Comissão de Transportes da Câmara a viabilidade uma linha de ônibus que opere pelo menos duas vezes por semana nas localidades de Nova Galícia e Jangada.

Fez uso da palavra o responsável pela Associação de Apoio União Pró-Vida (UPV), Jonas Paulo da Silva Filho, que foi à Câmara divulgar o importante trabalho da entidade em prevenção ao suicídio nas cidades.

O União Pró-Vida foi fundado em União da Vitória em 2004, atuando como um posto do Centro de Valorização da Vida e atualmente opera a partir de Porto União com cerca de 22 voluntários, mantendo os conhecimentos e princípios recebidos do Centro de Valorização da Vida (CVV) fundado em São Paulo em 1962, por um grupo de 17 jovens dispostos e empenhados a promover ações de combate o suicídio. O UPV é considerado de utilidade pública de acordo com as leis 3246/2005 (União da Vitória), e 3287/2007 (Porto União).

Segundo Jonas, a missão da entidade é valorizar a vida contribuindo para que as pessoas tenham uma vida mais plena e, consequentemente, prevenindo o suicídio. E tem como valores a confiança na Tendência Construtiva da Natureza Humana; trabalho Voluntário motivado pelo espírito samaritano de acordo; com a Proposta de Valorização da Vida; direção Centrada no Grupo; Aperfeiçoamento Contínuo; comprometimento e disciplina.

Segundo informou o seu representante o atendimento é feito presencial, por telefone e whatsApp com pessoas em crise emocional, interessadas em receber ajuda para alívio, e em especial como prevenção ao suicídio.

Para fazer parte dos voluntários do UPV, o interessado deve passar por cursos de aperfeiçoamento, receber algumas normas, literaturas, conhecimentos teóricos e práticos assimilados por alguns dos ex-voluntários do antigo Posto CVV de Porto União, e também nos de Sombrio (SC) e da Lapa, no Rio de Janeiro.

“Estamos aqui pedindo ajuda para divulgar o trabalho realizado pelo UPV. Segundo dados da Organização Mundial da saúde do ano de 1980 a depressão mata mais que o câncer e atualmente está pior. A principal causa da depressão é a ansiedade, segundo esses dados”, revelou Jonas.

De acordo com ele o atendimento é nada mais que um ouvido amigo para as pessoas que estão passando por um momento difícil e precisam de apoio. “Não damos conselhos e nem prescrevemos nada, apenas um ouvido amigo provisório para a pessoa em crise emocional”, destaca. Dos 148 atendimentos realizados em 2019 pelo UPV, 111 tiveram ideações verbais de suicídio. Somente este ano na região foram registrados 20 suicídios.

A entidade propõem providências de engenharia, urbanismo e arquitetura que dificultem o acesso de suicidas em potencial a locais tradicionalmente usados para a prática do ato como as pontes, com a construção de grades ao lado. “Sabemos que isso não vai evitar o suicídio, mas pode dificultar o ato”, confirma.

O Presidente do Legislativo reforçou a importância da entidade. “Temos que divulgar essa informação e a importância desse trabalho para que as pessoas que necessitem possam ter um auxílio imediato como a UPV faz. O que necessitar desta câmara seremos parceiro e o que for do nosso alcance tenha a certeza que será feito”, afirmou Bifão aos voluntários.

 

Os atendimentos são realizados:

Telefone: (42) 3523-7217

whatsApp: (42) 99138-1467

Rodoviária de Porto União

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *