Reunião discute ideias para amenizar cheias do Rio Iguaçu

O vereador Carlos Roderlei Pinto – Polaco do Bifão – realizou uma reunião na noite desta segunda-feira, 04, no Plenário da Câmara de Vereadores de Porto União para discutir propostas para amenizar as cheias em toda a região.

Para isso, convidou os professores Roberto Pedro Bom e Claudino Pedro Berlatto que apresentaram estudos para a construção de um canal extravasor na cidade de Porto Vitória que pode amenizar as cheias nas cidades de Porto União e União da Vitória.

Vários apontamentos foram feitos para amenizar os problemas das cheias, entre elas é a paralisação imediata de aterros a beira do Rio Iguaçu que acabam aumentando os locais atingidos pelas águas.

Segundo o vereador “esta é a primeira reunião realizada para discutir os problemas das cheias em Porto União fora do momento das enchentes. Se fala muito em uma solução no momento em que acontece as cheias, mas depois que passa não se fala mais. Então soube desse estudo dos dois professores e pedi para que eles pudessem aqui falar e explicar para as autoridades presentes”, ressaltou Polaco.

Os professores foram unanimes em dizer que é apenas uma proposta para tentar amenizar as cheias, e que não há um valor calculado de quanto essa obra custaria. Mas aceitam novas ideias para acrescentar e melhor a proposta.

Outra questão abordada foi a possibilidade de um maior represamento do rio, em caso de construção da nova ponte que ligaria o centro de União da Vitória ao Distrito de São Cristóvão, segundo os professores não há possibilidade da construção da ponte afetar as cheias.

Berlatto apresentou dados que influenciam as cheias, principalmente relacionados a poluição do rio, derrubada das árvores e da mata ciliar, drenagem dos rios e das várzeas de forma irregular; extração de areia de forma irregular entre outros fatores, pois segundo ele isso provoca quedas de barrancos “entulhando” o rio. “Não somos donos da verdade se aparecer outro estudo melhor e viável, vamos apoiar. O fato é, se nada for feito logo, União da Vitoria e Porto União não vão mais receber mais empresas. Vamos todos procurar e encontrar uma solução para amenizar as enchentes do nosso poluído Rio Iguaçu”, afirmou.

Roberto Bom apresentou os dados das cheias registradas até hoje e acredita que muitas coisas podem mudar se for desenvolvido uma equação que disponibiliza para a população que chovendo nas cabeceiras, em quanto tempo e quanto o rio vai subir aqui nas cidades. “O rio está no mesmo nível daqui até Porto Vitória, então precisamos criar um canal extravasor em Porto Vitória em um pequeno trecho que a água é represada, a partir de um nível esse canal poderia facilitar a passagem da água, podendo diminuir até dois metros as cheias aqui”, explica.

Estiveram presentes representantes de várias entidades entre elas, do exército, da polícia militar de Porto União, da União Comunitária das Associações de Moradores de União da Vitória (UCAUV), representada pelo seu presidente Anacleto Cordeiro Pinto, Amplanorte, o Vice-prefeito de Porto União Percy Storck; O coordenador regional da Defesa Civil Edson Antocheski; o Prefeito de Porto Vitória Kurt Nielsen; o vereador Elio Weber; a Presidente da Acipu Célia Leão entre outras autoridades.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *